Um dos maiores aprendizados que estou tendo morando na europa

Morar uma temporada em um país totalmente diferente daquele do qual você foi criado lhe traz muitos ensinamentos. Mas alguns deles são especiais devido à ruptura que eles causam em todos aqueles conceitos que você passou a vida inteira absorvendo (na maioria das vezes indiretamente) e cultivando.

Eu estou falando sobre classe social, dinheiro, status, emprego e acessibilidade (nesse caso, aquilo que o seu dinheiro lhe permite comprar).

Ninguém sabem quem é rico ou quem é pobre

Tirando os homeless (moradores de rua), é difícil você distinguir quem é rico e quem é pobre na Irlanda. Isso porque em geral você julga a riqueza dos outros pela quantidade/qualidade dos seus pertences materiais, e aqui, meu amigo, quase todo mundo pode ter quase tudo que quiser. Independente da sua profissão.

Acessibilidade financeira

Médico, carpinteiro, professor, garçom, jornalista, whatever. Todos esses profissionais podem pagar uma faculdade, vestir as melhores marcas do mundo, viajar para diversos países, ter aquele celular de última geração, andar de BMW e frequentar excelentes lugares na cidade. É totalmente impossível de imaginar isso no Brasil, mas isso é realidade aqui na Irlanda. O dinheiro que você ganha (+) e os preços das coisas (-) lhe fazem ter acesso a quase tudo que você deseja.

Status e grupo social

Ter um bom emprego, frequentar bons lugares e fazer parte de um grupo social de destaque lhe traz status. “Me dizes com quem andas que te direi quem és”- já dizia um dos ditos populares mais famosos no Brasil. E, de fato, é visível que para parte da sociedade há uma necessidade latente de se andar com pessoas influentes. Na Irlanda, em contraponto, isso não faz muito sentido. Médicos podem (e são) amigos de garçons. Jogam futebol juntos e tomam Guinness no mesmo pub. Professores têm amigos íntimos que nunca pisaram numa faculdade, a não ser pra limpar a sala de aula. E eles jogam futebol juntos e tomam Guinness no mesmo pub, da mesma forma.

Obs.: Esse post não tem a pretensão de dizer qual país é melhor ou pior para se viver, até porque esse é apenas um dos aspectos que se deve levar em consideração. A idéia aqui é apenas apresentar as diferenças culturais.

Tirem as suas próprias conclusões porque a minha, sinceramente, ainda não está definida. =D

Abraços.

16 Comentários

Arquivado em Cultura, Diversos

16 Respostas para “Um dos maiores aprendizados que estou tendo morando na europa

  1. mas todo mundo toma guiness no mesmo pub?

    O dono do pub deve estar rico.😀

  2. e jogam futebol no mesmo campo, na mesma hora e no mesmo dia da semana. =D

  3. Eduardo Bastos

    Excelente post, conseguiu colocar em palavras o que eu penso desde a primeira vez que vim pra Irlanda, lah em 2007.
    E foi justamente essa razão que me levou a “desistir” do Brasil. Esse tipo de coisa naum muda de uma hora pra outra, naum somente por questoes financeiras, mas porque jah virou cultura do povo brasileiro. Infelizmente.

  4. o brasil vive de status e as pessoas vivem para o que elas aparentam ser para os outros. essa mentalidade que literalmente FODE com a gente.

    muito bom post rapaz!

  5. Fiquei muito feliz de saber que isso é assim ai na Irlanda!!! tenho muita dificuldade aqui no Brasil exatamente por não me definir pelas pessoas com quem ando,por serem das + diversas, e sim por eu mesma, meu jeito e o que afirmo! No trabalho mesmoé dificil prq não me “encaixo” com a turma dos outros estagiarios…

    As pessoas aqui julgam pela aparencia, vivem representando o que desejam ser, isso é deprimente e mesquinho…

    Mais um motivo pra eu ir pra Dublin, feliz e de coração aberto, poder ser eu mesma, independente de com quem falo ou ando…

    Adorei o Post!!! Obrigada!

  6. Mto bom o post, Thiago!
    Fiquei animada com isso, uma das coisas que mais me irritam no Brasil é exatamente isso, a forma como todos são dividos pelo o que tem e com quem anda.

    Beijos!

  7. Marcele

    Adorei o post!! Acredito que irei adorar o tempo em que eu estiver na Irlanda. Aqui no Brasil, este tipo de discriminação é evidente e todos os dias temos que estar preparados lidar com isso.

  8. Rodolfo Gerstenberger

    Muito interessante seu post Thiago. Infelizmente o nosso Brasil cultiva isso, você acaba sendo o que tens e não o que é.
    Parabéns.

  9. Muito bom o post Thiago! É bom para que reflitamos sobre os nossos valores e a real importância deles. Beijo

  10. Olá…
    Li num post abaixo que Lisboa está na sua lista de viagens, quando quiser vir manda um sinal de fumaça e dependendo da época pode ficar em nossa casa, somos estudantes por cá e temos intenção de viver em Dublin em 2011 após concluir aqui minha faculdade para estudar o inglês…
    Se quiser adicionar no msn fique a vontade : lucianaalexandra@hotmail.com
    Twitter: lucycoutinho

  11. Oi Luciana, na verdade, o blog anda em slow motion. =D Eu já estive em Lisboa no mês passado. Preciso fazer um post sobre isso inclusive, mas ainda vai rolar.

    Anyway, valeu pela camaradagem.

  12. Bruno da Costa

    Muito bem meu garoto prodigio! fico muito feliz que tenha essa visao daqui que eh a mais pura verdade. Mas infelizmente ainda eh muito diferente la na terrinha.. por que se por exemplo se for para a bomba.. do hem.. heheh brincadeira parceiro!

    muito bem elaborado o texto.. keep on man!

  13. Monise Kressa

    Queridoooo, tudo bem?
    Eu nao sabia que voce tinha um site tao bom…. parabens, vc arrasa!
    Falou tudoooooo nesse post, realmente uma coisa que faz voce querer viver aqui eh exatamente isso, ele te consideram “gente” como eles, sem nenhum preconceito de nascionalidade, emprego, cor, idade nem nada! quando fui au pair, a familia me tratava como sendo um deles mesmo e agora que eu trabalho num pub, os caras me respeitam, ajudam e olham pra mim, elogiam e falam obrigada por estar servindo eles.
    Outra coisa, eles sao abertos para conhecer outras culturas, o meu namorado que eh alemao adora ir a festas brasileiras e saber mais sobre nossa cultura!
    Eu uma vez discuti sobre isso com ele, que no Brasil o pessoal vive muito de aparencias e posses, de status praticamente e disse que ele seria MUITO CHIQUE no Brasil, soh por ser “gringo” e ele me fala isso ateh hoje, que quer ir pro Brasil soh pra ser C.H.I.Q.U.E! hahahahhahah
    Mas eh isso, status nao leva ninguem a nada, so trabalho e honestidade e nisso a Europa da um banho de licao no Brasil!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s